Deus é gay.

Domingo de sol no Rio. Acordei meio dia. Liguei o computador para ver onde estava passando o novo filme do Woody Allen. Poucas opções. Unibanco Arteplex, 14h20, me pareceu interessante. Poderia assistir à final do campeonato paulista na sequência e ainda daria tempo para um almoço caseiro.

Foi só quando eu estava na boca do caixa que eu entendi porque diabos a fila da bilheteria era tão grande, visto que duas horas da tarde de um domingo de sol não era horário pra ninguém, a não ser eu, se embrenhar num cinema em Botafogo. O motivo era óbvio. Agora quem era cliente do Itaú também tinha direito a meia entrada. Até pouco tempo atrás, somente os clientes do Unibanco tinham esse privilégio. Fusão é fusão, não tem jeito. A Allianz Seguros que o diga. Perderam o posto de seguradora do Unibanco Arteplex para a Itaú Seguros.

Poderia citar aqui umas 20 vantagens de ir ao cinema sozinho. Uma delas seria a incrível facilidade para conseguir um lugar vago numa sessão praticamente lotada, como era o caso de “Tudo pode dar certo”. Sabe quando um casal de namorados, ao comprar suas entradas, pulam uma cadeira para ficarem mais à vontade, sem ninguém ao lado? Pois é. O universo está sempre conspirando ao meu favor nesse sentido.

Mas dessa vez não era um casal de namorados e sim duas velhotas, provavelmente amigas de longa data, daquelas que caminham todo santo dia no calçadão da praia esmiuçando abobrinhas. Aliás, a sala estava empesteada de gente velha, de modo que o ser humano mais jovem, sem sombra de dúvidas, era eu.

O filme de Woody Allen consegue ser absolutamente genial já nos primeiros cinco minutos, mas se eu contar o motivo, perde a graça. Aliás, se eu contar a história do filme, também perde a graça. Por isso eu separei para vocês um pequeno diálogo impagável de dois homens conversando num bar:

– Deus é gay – disse um deles, no momento em que a conversa tombava para o lado da religião.

– Não tem como, cara. Ele fez o universo perfeito. Os oceanos, o céu, as belas flores, as árvores em todos os lugares.

– Exatamente. Ele é um decorador.

Anúncios

Tags:

6 Respostas to “Deus é gay.”

  1. Lucas Petes Says:

    Genética ou problemas de Criação? ;D

  2. Felipe Capra Says:

    os cinemas aqui perto de casa são do Unibanco (shop bourbon – sp) a primeira coisa que eu reparei foi esse lance da allianz. engraçado pq a propraganda devia ser boa mesmo pra gente lembrar.

  3. Anne Says:

    eu assisti esse filme, se soubesse que você iria sozinho, teria te chamado pra ir comigo, tem momentos que é inevitável não sentir vontade de virar pro lado e comentar a cena!

  4. Sylvia Araujo Says:

    Eu não vi! Foi pra lista!

  5. mariah Says:

    assisti novamente esta semana. após o filme comentei exatamente essa cena com meu marido, que não viu o filme e que ficou me olhando com cara de paisagem.
    genial, simplesmente pelo fato de ser “só” humano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: