Archive for the ‘tecnologia’ Category

Meus 10 tweets preferidos

17 de janeiro de 2011

Desde que eu entrei para o twitter, em meados de 2009, eu lamentava a facilidade pela qual uma bela frase era esquecida no histórico de informações do microblog, que mais parece um buraco negro. Quem tem twitter e posta com uma certa frequência sabe a dificuldade que é para ler uma frase postada três meses antes. Só em março de 2009 que eu me dei conta de que a solução para o meu problema sempre existiu. Os programados do twitter já tinham pensado nisso e criaram uma ferramenta chamada “Favoritos”. O usuário então pode marcar com uma estrelinha os seus tweets favoritos. De lá pra cá, eu marquei ao todo 34. É uma pena que muitos outros, num total absurdo de 4586, estejam perdidos no tempo.

Dos 34 tweets que foram salvos, segue abaixo os meus 10 preferidos, em ordem decrescente:

Décimo lugar: Ronaldinho Gaúcho é que nem plano de saúde. É melhor ter do que não ter.

Nono Lugar: Quem faz aniversário deveria ouvir “meus pêsames, a velhice é uma merda” em vez de “meus parabéns”.

Oitavo Lugar:Essa música cairia como uma luva na página inicial do site do Vigilantes do Peso:”o que eu ganho, o que eu perco, ninguém precisa saber”.

Sétimo Lugar: Da série “metas para 2011”: Superar a média anual de idas à praia que está na casa de 3,5 / ano.

Sexto Lugar: Você já reparou que “Fred” é o único nome do mundo que forma um quadrado perfeito no teclado do computador?

Quinto Lugar: Puta merda em inglês é “holy shit”. Em latim é “putis merdus”.

Quarto Lugar: Acredite. No Leblon tem mais Golden Retriever do que gente.

Terceiro Lugar: Ainda bem que não traduziram o nome do filme TRANSFORMERS. Você assistiria o filme Transformistas?

Segundo Lugar: De nada adianta ter talento, se você tá lento.

Primeiro Lugar: Os mágicos são muito bons na arte de fazer os objetos sumirem. Só perdem para as empregadas domésticas.

Anúncios

Foi aí que o Titanic bateu?

26 de dezembro de 2008

“Vários produtos Samsung foram congelados, ao vivo, em um Shopping Center e você deve acertar quando esse cubo de gelo tamanho família vai derreter por completo”.

Esta é a descrição da sensacional campanha promocional “Concurso Cultural Samsung – Natal Tá Quente, Tá Frio”. É uma pena no entanto que algumas “dicas quentes para as perguntas que você já deve estar fazendo” na seção “Esquentando o cérebro”, no hotsite da promoção, sejam tão ruins. Meus comentários estão em negrito.

– Qual o tamanho do cubo de gelo?
O cubo tem 4X4X3 metros, o que dá 42.400 litros de água. Isso mostra que nada mudou desde a sua infância: quem é bom em física e matemática tem mais chance de ganhar presente do bom velhinho.

Até parece que os meus amigos que tiravam 10 em física e matemática terão mais chances do que eu. Seguindo esse raciocínio, basta eu pagar umas quinhentas pratas pra um nerd com Phd em física e abocanhar os prêmios.

– Ele veio do Pólo Norte?
Sim. O gelo foi fabricado especialmente para o concurso. Sua origem é desconhecida, mas você pode ver o cubo de perto lá no Shopping Morumbi – SP.

Como ele pode ter vindo do Pólo Norte e a sua origem ser desconhecida? Juro que não entendi.

– Com quantos desse eu faço uma caipirinha?
E por acaso a gente tem cara de barman? Deixe para fazer um brinde quando você colocar todos os prêmios Samsung dentro do seu lar-doce-lar.

Gostaria de saber o nome da pessoa que elaborou esta pergunta, assim como o nome do ser que autorizou esta coisa ridícula – “com quantos desse eu faço uma caipirinha?”. Na moral, quem quer saber isso? Além do que, pra fazer uma (1) caipirinha é preciso 0,0000000000000000000000001% desse gelo, ou menos. Então a pergunta mais apropriada, neste caso idiota, seria: “quantas caipirinhas eu faço com esse gelo?”

Não, eu não acho que eles têm cara de barman porque eu nunca faria uma pergunta dessas. Além do mais, barman é pago para fazer drinks e não cálculos.

“Dentro do seu lar-doce-lar?”, – que intimidade é essa? Eu, hein!?

– Foi aí que o Titanic bateu?
Não, não e não. Pelo jeito, você anda perdendo aqueles documentários da TV. Mas não se preocupe: quem sabe não é agora que a felicidade bate na sua porta, hein? Vai lá e manda os cálculos.
Titanic? O que é isso? Eu pensava que a equipe responsável por essas perguntas era alcoólotra, por causa das caipirinhas, mas pelo visto eles tomam ácido.

O que eles querem dizer com “aqueles documentários da TV”?

Estou participando dessa promoção com milhares de pessoas, só uma vai ganhar e eles ainda pedem para eu não me preocupar? É claro que eu estou preocupado!

Observação 1: Me inspirei totalmente no site Antipropaganda para fazer este texto. Procurem no google este site, vale a pena.
Observação 2: O gelo da promoção já derreteu por completo e eu não ganhei.

 

Como ser enganado pelo MySpace

5 de dezembro de 2008

Outro dia eu entrei no MySpace de um grupo de rock que eu não conhecia, por indicação de um amigo, e me deparei com um estilo musical que não tinha muito a ver com o que ele me descreveu. Era um rock muito pesado que ao meu ver também não fazia jus à aparência dos integrantes, tampouco ao layout do site, mas também podia ser uma impressão equivocada da minha parte. Esperei então pela segunda canção, que era ainda mais pesada que a primeira. Agora o vocalista dava uns berros, o que me fez ter certeza que o som que eu ouvia não era da banda indicada pelo meu amigo, pois ele não suporta vocalistas que gritam.

Enquanto pensava no que poderia estar acontecendo, passei o olho em alguns comentários deixados na página. De repente me deparo com uma foto bizarra de quatro homens vestidos de preto, com a mensagem “Thanks for adding us” e um playlist em movimento que tocava exatamente as músicas que eu ouvia, pois quando apertei “pause” só ouvi o barulho do ar condicionado trabalhando. Se eu não estivesse atento, eu teria sido enganado por aquela banda, ou melhor, pelo MySpace – que permite que um absurdo desses aconteça.

A segunda e última falha do MySpace que eu vou discutir agora, é muito mais grave que a primeira. Este incrível site de relacionamento musical permite que uma mesma música toque duas vezes, no mesmo espaço de tempo, de modo que a “dupla canção” não fica muito diferente da original. Soa como se fosse gravada com efeitos em todos os instrumentos e o som é bem mais encorpado. Na maioria dos casos a segunda reprodução da música entra 1 segundo depois da primeira, dando esse tom robusto, mas que não chega a deformar a versão original. O ouvinte desavisado e desatento pode classificar erroneamente um artista baseado neste grave e inadmissível erro do MySpace. Ele pode espalhar para os amigos que o som da banda é muito embolado sem ter ouvido a versão original.

Felizmente é muito fácil saber se você está ouvindo uma “dupla canção” no MySpace. Se ao clicar em “pause” a música continuar, significa que você ouvia uma “dupla canção”, mas se você ouvir apenas o barulho do ar condicionado trabalhando, pode meter o pau à vontade no artista, pois esta era a canção original.

Como Morrer na Internet

28 de novembro de 2008

 

Fulano de Souza criou um perfil no Orkut e em poucos meses abocanhou mais de 400 amigos. Eram colegas de primário, do cursinho de inglês, da aula de natação, familiares distantes, enfim, gente de todos os lugares possíveis e inimagináveis. Empolgado com este novo mundo virtual, criou um MySpace para divulgar suas canções peculiares – uma mistura de rock dos anos 80, com frevo, maracatu “e um tiquinho assim, desse tamaninho assim, de carimbó” (trecho em aspas, utilizado sem permissão, pode ser visto no vídeo “Também Sou Hype – Hermes e Renato”, que está no YouTube). Muitos europeus se interessaram pelo seu trabalho e ele acumulou vários fãs e amigos, sobretudo na Alemanha e na Finlândia. Alguns videoclipes de suas músicas, produzidos por amigos cineastas, fizeram muito sucesso no YouTube e Fulano de Souza conseguiu agendar uma turnê na Europa, passando por Itália, França, Espanha, Bélgica, Portugal, e como não poderia deixar de faltar, Alemanha e Finlândia.

Acontece que duas semanas antes do embarque ele foi atropelado e morreu a caminho do hospital. Os comentários no MySpace, no YouTube e no Orkut continuaram normalmente porque nenhum de seus familiares ou amigos mais próximos sabiam as senhas do rapaz. E agora? Deixar um scrap no Orkut dele comunicando o triste episódio para que todos os seus amigos vejam? E quem vai acreditar? Quantos vão ver? Fulano de Souza estava morto no Plano Real, mas no Plano Cruzado, ou melhor, no Plano Virtual, estava mais vivo do que nunca – 5 solicitações de amigos pendentes no Orkut e mais 12 novos comentários no MySpace.

Para resolver este problema, Fulano de Souza pode fornecer as suas senhas para um amigão do peito que por sua vez poderá espalhar a notícia da sua morte no MySpace, no Fotolog, no Msn ou em qualquer outro site de relacionamento. Mas Fulano de Souza teria coragem de dar as suas senhas a ele ou a qualquer outra pessoa? E o amigão do peito? Teria ele coragem de fazer esse serviço para depois ficar respondendo mensagens em inglês da Europa de fãs enlouquecidos? E se o amigão do peito morrer antes do Fulano de Souza?

Nunca foi tão difícil morrer na internet como nos dias de hoje, pois nunca tivemos tantos sites de relacionamento. Mas acredite, tenho a solução! Criei um novo serviço na internet chamado MySpaceInHeaven. Funciona da seguinte forma, em 5 etapas:

1. O usuário se cadastra no MySpaceInHeaven com login e senha, como se estivesse criando uma nova conta de e-mail, ou seja, um procedimento muito simples e rápido.

2. Ele então preenche um campo listando 8 e-mails de pessoas da sua confiança. Não é necessário divulgar o nome dessas 8 pessoas.

3. Agora ele fornece login e senha de todos os sites de relacionamento que tem conta (Orkut, Facebook, MySpace, Fotolog, etc) ou deseja informar.

4. O contato com o MySpaceInHeaven por parte de qualquer um dos e-mails cadastrados só pode e deve ser feito quando o usuário morrer. Para tanto, é preciso enviar escaneado por e-mail uma cópia da certidão de óbito do usuário. Somente os 8 e-mails cadastrados podem fornecer a certidão de óbito. Porém, o usuário pode alterar estes e-mails a qualquer momento (enquanto estiver vivo, logicamente).

5. No momento em que o MySpaceInHeaven confirmar a morte do usuário (uma série de medidas são tomadas para garantir que a certidão enviada é de fato verdadeira), o próprio serviço se encarrega de espalhar a triste notícia para todos os sites de relacionamento que o usuário cadastrou na etapa número 3.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

– O MySpaceInHeaven não fornece as senhas do usuário morto para ninguém, nem para os e-mails cadastrados. Estas são automaticamente deletadas após o cumprimento da etapa número 5.

– O MySpaceInHeaven possui um sistema altamente moderno e seguro que só permite a visualização das senhas fornecidas pelo usuário quando a sua certidão de óbito for aprovada. Sendo assim, o usuário não precisa se preocupar, pois os funcionários do MySpaceInHeaven só poderão fuxicá-lo quando ele estiver morto e ainda assim, terão de ser rápidos, pois a senha só fica disponível por 2 horas. Depois de muitos estudos, o MySpaceInHeaven concluiu que 2 horas é um tempo mais do que suficiente para fazer o serviço completo (notificar todos os amigos do usuário pela internet), mesmo que o usuário tenha 10 sites de relacionamento com 5 perfis em cada – o máximo permitido na opção paga (R$2,00). Na opção gratuita, o usuário só pode cadastrar 5 sites de relacionamento com um perfil para cada.

– Os sites de relacionamento cadastrados ficam no ar somente por mais 30 dias úteis, a contar do dia em que a mensagem de óbito foi enviada, sendo depois dessa data automaticamente excluídos. Porém, o usuário pode escolher um site de relacionamento que fique no ar para sempre ou por quantos meses ele desejar. Caso ele queira que outro site de relacionamento fique mais de um mês no ar ou para sempre, ele precisa pagar uma taxa de R$ 1,00 para cada um.

– O MySpaceInHeaven não lê ou responde qualquer mensagem, scrap, depoimento, comentário e ignora todas as cantadas virtuais enviadas para o usuário morto.

– Pagando apenas R$ 3,00 o usuário pode desenvolver junto com o MySpaceInHeaven uma mensagem de óbito personalizada com cores, ilustrações e animações. Na opção gratuita, o MySpaceInHeaven envia um comunicado padronizado, onde troca apenas o nome do usuário.

– Informações sobre missa de sétima dia fornecidas por algum dos 8 e-mails cadastrados só serão aceitas caso enviadas no mesmo e-mail contendo a certidão de óbito escaneada. A opção gratuita não trabalha com informações sobre missa de sétimo dia. É preciso desembolsar R$ 2,00 para ter este serviço. O MyspaceInHeaven não se responsabiliza por qualquer informação referente a missas posteriores a essa data, inclusive de trigésimo dia.

– Se o usuário pagar mais R$ 2,00, ele ainda pode criar um material para memórias póstumas em formato PDF (os seus amigos teriam a opção de imprimir ao receberem por e-mail) que poderá conter suas poesias secretas, esconderijos de artigos valiosos, coleção de gibis, seu diário ou alguns trechos podem ser revelados neste material, enfim, pode ser qualquer coisa, cabe ao usuário definir. (Autor desta idéia – Pedro Arcanjo)

– O MySpaceInHeaven também será muito útil para as pessoas encontrarem mortos. Basta fazer uma rápida busca interna no site. Se o nome citado não for encontrado, significa que a pessoa está viva ainda. (Autora da idéia – minha mãe)

Algum nerd da informática quer comprar o meu produto? Vendo os direitos autorais por apenas R$ 999,99 e fico com 3% dos lucros trimestrais.